Por Rogério Thaddeu

Problemas relacionados à autoimagem e a desconfiança em relação à sua performance no trabalho e na relação sexual, costumam afligir muito os homens, que confessam mais abertamente seus conflitos para um psicanalista ou psicoterapeuta em que possam confiar. No entanto, mesmo esses homens corajosos que assumem suas fragilidades e revelam ao terapeuta, resistiram durante um longo caminho. Geralmente, quando chegam ao consultório, encontram-se extremamente fragilizados e carentes de atenção. Como alguns homens, não verbalizam seu sofrimento, a “saída temporária” para seus conflitos, geralmente, ocorre  no consumo excessivo de álcool, drogas e relações sexuais sem envolvimento afetivo.

Há também os homens que se encontram mais estabilizados financeiramente, com um casamento aparentemente “feliz”, no entanto, buscam relações hetero e/ou homossexuais para tentar preencher sua insatisfação e muitas vezes, como uma espécie de punição na qual o homem se submete a uma relação sexual em que se sinta inferiorizado, humilhado. Em linguagem psicanalítica, diríamos que esses homens sentem-se culpados e que se encontram prisioneiros do chamado superego. Por outro lado,  há os homens que precisam sentir alguma forma de controle e poder na relação, para buscar sua autoafirmação.

Não existe superhomem na vida real: é só uma ilusão!

O fato é que grande parte dos homens foram educados acreditando que a única forma de serem aceitos e valorizados socialmente se dava através do dinheiro e do sexo. Não é por acaso que os quadros depressivos moderados e/ou graves, com riscos de suicídio ocorram devido à conflitos nestas áreas. Nestes treze anos de experiência clínica, cuidando de outros homens, pude perceber que o terapeuta do sexo masculino é de fundamental importância, uma vez que este funciona como aquele homem que poderá escutar, amparar, ajudando seu paciente a não ter medo de suas fragilidades e que pode chorar na frente de outro homem e não ser repreendido por suas dores e conflitos.

 

Rogério Thaddeu – Psicoterapeuta, especialista em saúde mental. Professor universitário. Autor dos livros: A mente curaAlcoolismo, prazer, dependência e invenção e No limite das emoções – uma análise sobre as psicopatologias na atualidade.

 

Share